make action GIFs like this at MakeaGif
Fique por dentro
recent

Ouça agora (tocador na barra direita)

Ouça agora (tocador na barra direita)
Em fase experimental

"A direita foi muito burra no Brasil", diz Boaventura

"A direita brasileira, se fosse democrática, deveria ter decidido esperar mais quatro anos, porque o modelo de desenvolvimento do governo da presidente Dilma Rousseff já dava sinais de esgotamento. Mas a direita nem sempre é inteligente. Ela foi burra. A impaciência produziu esse estrago e a classe dominante está a se devorar. Um exemplo é o choque entre a Globo e o Temer", diz o sociólogo Boaventura Sousa Santos, um dos maiores intelectuais europeus; em entrevista aos jornalistas Paulo Moreira Leite e Leonardo Attuch, ele afirma que há um quadro de impotência no Brasil; "Nem a classe dominante consegue governar, nem as classes populares conseguiram oferecer uma alternativa"; ele enfatiza ainda que Dilma, a presidente mais honesta da América Latina, foi deposta pelos políticos mais corruptos da região; confira acima a íntegra.

O sociólogo português Boaventura Sousa Santos, um dos maiores intelectuais europeus, concedeu uma entrevista ao 247, poucos dias antes da entrevista-bomba do empresário Joesley Batista, que pareceu premonitória.

– Dilma, a presidente mais honesta da América Latina, foi derrubada pelos políticos mais corruptos da América Latina – disse ele, aos jornalistas Paulo Moreira Leite e Leonardo Attuch.

Na sua avaliação, o Brasil foi vítima de um "golpe institucional", que ainda não se concluiu. Segundo ele, a derrubada de Dilma se insere num contexto de recolonização do Brasil.

– Há um componente de intervenção muito clara neste golpe, pela violência com que foi realizado – afirma.

Para Boaventura, houve financiamento externo, notoriamente dos "irmãos Koch", uma das famílias mais ricas do Texas, que tinha interesse na abertura do pré-sal

Dilma também caiu para que fossem implantadas outras medidas, como as reformas trabalhista e previdenciária.

Segundo ele, a saída para o impasse não está claro.

– A direita brasileira, se fosse democrática, deveria ter decidido esperar mais quatro anos, porque o modelo de desenvolvimento do governo da presidente Dilma Rousseff já dava sinais de esgotamento. Mas a direita nem sempre é inteligente. Ela foi burra. Nem sempre a esquerda é que é burra. A impaciência produziu esse estrago e a classe dominante está a se devorar. Um exemplo é o choque entre a Globo e o Temer.

Na visão de Boaventura, há um quadro de impotência no Brasil. Nem a classe dominante consegue governar, nem as classes populares conseguiram oferecer uma alternativa.

soudaquimanga

soudaquimanga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

by: soudaquimanga (2011-2015) - Manga, MG. Tecnologia do Blogger.