Eleições 2014

Image and video hosting by TinyPic

Urbano, o herói manguense, em ação

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Como você escolhe o seu candidato a prefeito?



O voto, em sociedades democráticas como a brasileira, é um dos mais poderosos instrumentos a ser utilizado pelo cidadão para fazer valer os interesses quanto à coletividade. Em temos ideais ele representaria a força da sociedade junto ao Estado. Na prática, no entanto, o voto – como instituição – tem sido “desviado” de seus propósitos. Agora que Manga vai escolher o futuro prefeito e nove vereadores para compor a próxima legislatura seria interessante refletir sobre o voto e as escolhas.


O voto como instrumento democrático permitira que os interesses da maioria, em processos eleitorais como este que vivemos atualmente, refletisse nas escolhas. Estas, por sua vez, se fundamentariam na definição dos melhores nomes para liderar o executivo municipal e representar o povo na Câmara de Vereadores.

Simples assim. Mas talvez nem tanto. Seriam os interesses pessoais em relação à coletividade o grande gargalo da democracia representativa. O que se vê na prática – e talvez isto se explique pela exclusão histórica da maioria da população e pelos efeitos do patrimonialismo, quando o que é público é apropriado por particulares – é que o voto tem servido muito mais aos interesses pessoais do que aos interesses coletivos.

Será que a grande maioria das pessoas vota, por exemplo, por que o candidato escolhido é aquele que tem habilidade para conhecer os problemas do município e tem condições, a partir daí, de propor soluções viáveis e inovadoras para resolver estes problemas? Ou se vota pelo favor pessoal? Ou pelo assistencialismo, sobretudo, em relação à saúde? Ou ainda por que o candidato é o mais popular? Ou tem a música de campanha mais engraçada?

Possivelmente se voto não servir a coletividade continuaremos sendo vítimas dos mesmos problemas e dos mesmos políticos que mudam de nome, mas não mudam as suas práticas. Continuaremos tendo uma das piores educação pública do Estado; uma saúde que vive estado terminal; sem oportunidades de emprego, de trabalho, de renda e de qualidade de vida, entre tantos outros (veja mais aqui).

5 comentários:

  1. Esta é a triste realidade de Manga. As pessoas preferem votar quando recebem algum tipo de favor ou uma promessa de emprego. Só que depois que eles chegam lá é pé na bunda de todo mundo até que chegue mais uma vez o período de eleição. Assim não dá.

    ResponderExcluir
  2. Gente em falar de musica , mais aquela buzinou é podre é idêntico o candidato anarquista, tipo aquele que não leva nada a serio. Muito cuidado eleitor na hora de vota procura um candidato que espira confiança. Se você vende seu voto, você não tem como cobrar depois .

    ResponderExcluir
  3. É isto que dá ter certos candidatos. Não dizem nada e ainda tratam o povo como se fossem imbecis, ou vocês acham que estes candidatos tem mesmo condições de ser prefeito de Manga com tanta palhaçada.

    ResponderExcluir
  4. O pior é que pelo que parece isso não vai mudar mesmo. Vai ganhar quem fizer mais favor ou prometer mais. Sempre foi assim e sempre será enquanto o povo for tão carente como é.

    ResponderExcluir
  5. Sinceramente a democracia no Brasil pra mim nunca vai dar certo. Enquanto ficar esse bando de mentirosos tentando enganar o povo de dois em dois anos vai ser disso a pior. Depois que se elegem viram as costas e fica por isso mesmo, por isso que não vai funcionar nunca.

    ResponderExcluir

Clique na imagem e dê a sua opinião

Dê a sua opinião:

Qual a sua opinião sobre a interferência política na autonomia dos meios de comunicação?
Concordo que os políticos interfiram na publicação de conteúdos
Sou totalmente contra qualquer tipo de censura
Todo político tem que autorizar aquilo que é publicado a seu respeito
Não tenho opinião a respeito
Outra